Camilo Castelo Branco passou a andar de autocarro

O autocarro da Linha Camiliana dos TUF – Transportes Urbanos de Famalicão, que habitualmente liga a freguesia de S. Cosme a Seide S. Miguel, recebeu, na quinta-feira, dia 8, utilizadores muito especiais: nele entraram Camilo Castelo Branco e algumas das personagens dos seus livros.

O habitual meio de transporte de Camilo Castelo Branco ficou em Seide e a viagem à vila foi feita não de burro mas de autocarro. Coisas do século XXI que Camilo, porventura, iria apreciar se vivesse nos tempos de hoje. As personagens, verdadeiras ou imaginadas, que o escritor retrata nos seus livros, tomaram forma humana e seguiram nesta viagem. De paragem em paragem, o autocarro foi apanhando as freiras, o moleiro, a ”Amélia de Landim”, barões e baronesas, cantadores ao desafio… e Camilo e Ana Plácido. A interpretação destas figuras, sempre animadas, ficou a cargo dos alunos da CIOR, do Grupo Folclórico Casa do Professor de Famalicão e de outras pessoas.
A iniciativa, conjunta, dos pelouros dos Transportes, Cultura e Turismo, teve vários objectivos: promover este ícone da literatura portuguesa, incentivar à leitura; incrementar o turismo, sempre em torno de Camilo e dos espaços disponíveis em Seide S. Miguel; incentivar o uso do transporte público.

José Manuel Oliveira, director do Centro de Estudos Camilianos, explicou que a rota da Linha Camiliana une alguns dos locais «cuja paisagem física e humana Camilo aproveitou para a sua obra». Livros como “A Brasileira de Prazins”, “Senhor dos Paços de Ninães”, “Noites de Insónia”, retratam algumas das personagens que “subiram” ao autocarro. E, desta forma singular, fazendo uso de uma viagem e de um meio transporte público, também se está a perpectuar a literatura de Camilo Castelo Branco e a reviver um certo modo de vida que ele reproduz nos seus livros, garante José Manuel Oliveira.

Por outro lado, o vereador dos Transportes, Mário Passos, que acompanhou a comitiva nesta viagem de autocarro, defende a importância do uso dos transportes públicos, neste caso do autocarro. Garante que foi a pensar nisso que foi renovada a frota de autocarros, «também mais económicos, com muito conforto, inclusive com ar condicionado».
O vereador acredita que a implementação do Passe Sénior Feliz vai trazer mais utilizadores entre os mais idosos, ao fazer baixar o preço do passe sem restrição na mobilidade, à semelhança de um passe que já existiu. O autarca lembrou que o concurso para o Passe Sénior Feliz já foi aberto e acredita que os passes deverão ficar disponíveis no final deste ano.

Mário Passos anunciou, também, que a Câmara vai abrir um concurso público no sentido de instalar um conjunto «muito significativo de abrigos para aumentar o conforto enquanto as pessoas aguardam pelo autocarro». Esse processo vai começar no centro da cidade, alargando-de depois a outras freguesias.
A par do uso do transporte público cresce a sensibilização das pessoas para as questões da preservação do ambiente, alerta o governante. «Se as pessoas usarem mais o transporte público significa que vamos diminuir as emissões de dióxido de carbono, que é um gás de efeito de estufa. Queremos que Famalicão seja um concelho amigo do ambiente», aponta o autarca.

This entry was posted in Notícias. Bookmark the permalink.

Comments are closed.